Diccionario de Comunicación Periodística (Portugués)

Dicionário de Jornalismo
Acabo de descubrir este diccionario, el cual me fue muy útil en una traducción, por eso quiero compartirlo con ustedes. Es en idioma portugués e incluye vocabulario referido al área de Periodismo y Comunicación.

Dicionário de Jornalismo e Comunicação
Fuente: http://jornalismo.ufma.br/

A
Abrir Foto – Ampliar o tamanho da foto na página. Este artifício é usado para valorizar uma foto de qualidade ou cobrir espaço quando o texto é pequeno.
Análise – Texto que analisa determinado assunto. Pode ser em forma de artigo ou de pequeno box inserido dentro do material.
APURAR: Levantar dados para uma reportagem e/ou artigo.
Artigo – Texto assinado de responsabilidade do autor
Aspas – Declaração inserida em uma matéria. Atenção: a expressão Preciso de umas aspas refere-se à necessidade de se inserir um personagem no texto.
Assinatura – Crédito dado ao autor de uma matéria
B
Baixar – Mandar uma página para as oficinas do jornal. Aí termina o trabalho editorial e começa a parte industrial do processo.
Barriga – Matéria falsa ou errada. O oposto de ‘furo”.
Barrigada – O mesmo que barriga.
BALÃO-DE-ENSAIO: Notícia sem fundamento, boato.
BARRIGA: Notícia errada, publicada com o estardalhaço de uma grandenovidade. (ver significado mais adiante).
BATER UM BRANCO: Expressão usada por cinegrafistas e técnicos de luz queintegram as equipes de televisão, para tes­tar a definição da cor na imagem, antesde começar a gravar uma entrevista. Usa­se a expressão “bate um branco aí”.
BLOCO: Parte do telejornal em que a matéria será veiculada. Usa­se o termo “primeiro, segundo, terceiro bloco”.
BONECO (1): Montagem de folhas representando as páginas do projeto de revista. Usado para distribuir as matérias e elementos gráficos.
BONECO (2): Fotografia de um entrevistado em plano ameri­cano. Usa­se muito a expressão “fazer um boneco” ou “bonecar”.
Box 1 – Material adicional usado em uma matéria. Serve para destacar uma parte do tema ou para dar explicações adicionais ao leitor.
BOX 2: Texto que aparece na página entre fios, sempre em asso­ciação com outro mais longo. Pode ser um conjunto de infor­mações técnicas relacionadas ao texto principal, a história de um personagem citado na reportagem, ou até mesmo um mini­ editorial da publicação relacionado ao tema da manchete.
BRIEFING: Conjunto de informações que uma empresa reú­ne para apresentar ao seu profissional de comunicação (seja ele um funcionário ou uma agencia externa) sempre que dese­ja tornar algum fato público, seja através de campanhas publicitárias, ou de ocupação de espaço editorial.
C
Cabeça – Marca no alto página usada para definir a Editoria responsável pelo trabalho. Em alguns jornais, é usada para definir o tema da página
Cabeçalho – Informações gerais e obrigatórias sobre a publicação. Inclui número da página, título e data da publicação.
Caderninho – Conjunto de diagramas usados para dispor o tamanho dos anúncios contratados para a edição. Serve para o começo do trabalho de edição. A partir do caderninho define-se tamanhos e distribuição de matérias, fotos, infográficos e ilustrações pela página.
Caderno – Conjunto impresso formado por no mínimo quatro páginas. Veja também suplemento e macarrão.
Caixinha – Desenho padronizado usado para abrigar um box
Capitular – Letra em tamanho maior usada para marcar o início de um texto. Veja também intertítulo
Calhau – Pequeno anúncio do próprio jornal usado para cobrir espaço não utilizado na página. Botar calhau significa acelerar o processo de fechamento colocando um anúncio em lugar do espaço inicialmente previsto para a matéria.
Cartola – O mesmo que retranca ou chapéu. Uma ou mais palavras usadas para definir o assunto da matéria. É usada sobre o título do texto.
Case – Ver personagem.
Centímetros – Medida usada para mesurar o comprimento do texto.
Chamada ou Chamadinha – Pequeno texto usado na primeira página para chamar a atenção do leitor para determinado material.
Chapa – Material metálico como matriz usado para imprimir o jornal. É coberto por uma película fotossensível queimada com a ajuda de um fotolito, revelada e instalada nas rotativas. Sobre ela se aplica tinta para a impressão. Usa-se uma chapa para cada uma das cores básica – Cyan, Magenta, Amarelo e Preto.
Chapéu – Pequena retranca usada numa matéria curta ou não coordenada com a matéria principal. Veja segundo assunto e curta.
Cíceros – Medida arcaica usada para medir a largura de uma coluna.
Clichê – O mesmo que edição. Termo herdado dos primórdios do jornalismo. Para cada página de jornal era usado um clichê, um suporte metálico onde eram dispostos os tipos metálicos manualmente, formando frases e colunas. Antes da difusão do rádio e da televisão, os jornais tiravam várias edições atualizando o material publicado. Hoje costuma-se fazer um segundo clichê para atualizar matérias importantes depois do horário de fechamento do jornal.
Coleguinha – Sinônimo de jornalista
Coluna (1) – Espaço padronizado para se dispor o texto na página. A largura é determinada em paicas (picas, em inglês,) ou cíceros.
Coluna (2) – Espaço fixo usado por jornalista contratado especialmente. Pode ser analítica ou de notas.
Coluna falsa – Coluna fora da medida padronizada pelo jornal
Copydesk ou copidesque – Veja também redator. Termo importado dos Estados Unidos por Pompeu de Souza durante a reforma do Diário Carioca. Na época poucos repórteres escreviam a matéria. Eles chegavam e ditavam o texto para o editor. Pompeu obrigou-os a escrever. Para transformar o texto incompreensível dos repórteres em algo legível existia uma Mesa de Textos (Copy Desk em inglês) com os melhores redatores do Diário Carioca. O termo incorporou-se à linguagem jornalística como sinônimo de redator.
Corpo – Tamanho do tipo usado na impressão
Crédito – Assinatura usada em foto ou para marcar material produzido por agência ou outra publicação.
Curta – Matéria com, no máximo, 15 centímetros de texto.
CAVAR: Apurar com empenho, batalhar pela notícia. Usa­se muito a expressão “cavar uma matéria”.
CHAMADA: Resumo de uma reportagem para ganhar des­taque na primeira página de um jornal, na capa de uma revis­ta, ou na introdução de um telejornal ou noticiário radiofônico.
CHUPAR: Plagiar, usa­se a expressão “chupar matéria”.
CLIPPING: Seleção e recorte de notícias sobre a empresa, ou sua área de atuação, a partir da leitura e acompanhamento dos jornais diários, revistas semanais e de publicações especializadas.
CLIPEIRO: Pessoa que faz o clipping.
COBERTURA: Acompanhamento e apuração de um ou mais fatos, para transformá­lo(s) em notícia. Pode ser realizado por um ou mais repórteres, dependendo da importância e ampli­tude do fato para o veículo que pretende publicá­lo.
COLEGUINHA: Modo como os jornalistas, principalmente repórteres, se referem uns aos outros.
COLUNA: Textos assinados que são sempre publicados em data e local fixos. O título da coluna pode ou não ser o nome do autor.
COMENTÁRIO: Pequeno artigo. É sempre assinado.
CONTRAPLANO: Gravar trechos da entrevista focando o repórter, para fazer cortes na edição da matéria. Geralmente o contraplano é gravado após o término da entrevista. COPIDESCAGEM: Tratamento que uma notícia recebe de um redator depois de ser entregue pelo repórter à sua editoria. Vai desde a simples titulagem e uma ou outra adequação de vírgulas, até a total reestruturação do texto, em função de uma redução no espaço para publicação ou de decisão edito­riaI de ressaltar aspectos não destacados pelo repórter.
COSTURAR: Juntar as informações em tini texto. Usa­se a expressão “costurar o texto” e/ou “alinhavar o texto”.
COZINHA: Termo muito usado em jornal para definir as funções ligadas ao fechamento, como copo, diagramação, se­cretaria. Usa­se a expressão “cozinha de jornal”.
COZINHAR: Reescrever texto já publicado em outro veícu­lo. Geralmente, quando utilizam esse recurso, um jornal ou uma revista citam a publicação de origem.
CRESCER: Ganhar importância em uma edição. Usa­se a expressão “a matéria cresceu”.
CRÔNICA: Coluna ou texto que aborda tema do cotidiano, geralmente utilizando forma literária.
D
Deadline – Horário limite para se finalizar uma matéria ou página.
Declaração – Texto ou opinião oficial expressa verbalmente por entrevistado.
Dedo-duro – Referência colocada em uma matéria para remetê-la para outro assunto em página diversa. Também conhecida como Leia mais.
Diagonal – Reduzir proporcionalmente a foto na página.
Diagrama – Folha retirada do caderninho para guiar o início do trabalho de diagramação.
Diagramação – Dispor o material na página.
Diagramação horizontal – Sistema onde as matérias estão dispostas horizontalmente na página. Ver Projeto.
Diagramação vertical – Sistema onde as matérias estão dispostas verticalmente na página Ver Projeto.
DEADLINE: Data e/ou horário em que um repórter precisa entregar sua matéria apurada e escrita ao editor.
DERRUBAR: Argumentar contra uma pauta, para que ela não vire matéria. Usa­ se a expressão “derrubar a matéria”.
E
Editor – Chefe de uma editoria
Editoria – Conjunto de jornalistas responsável por determinado tema em uma redação.
Editorial – Texto com a opinião da publicação
Enquete – Pequenas entrevistas para levantar a opinião da comunidade
Espaço – Área prevista para a edição do material
Expediente – Quadro com os dados gerais da publicação. Consta obrigatoriamente a relação de diretores e editores-chefes e endereços.
EDITORIA: Maneira como as redações de jornais e revistas se estruturam. Cada uma delas agrupa assuntos afins.
EDITORIAL: Texto onde o jornal expressa sua opinião. Não é assinado para que caracterize formalmente a posição do veículo.
EMPLACAR: Aprovar uma pauta, fazer a matéria e tê­la publicada. Usa­se a expressão “emplacar matéria”.
ESTOURAR: (o prazo) Passar da hora. Usa­se muito “es­tourar o horário de fechamento” (veja “fechamento” mais adiante).
ESVAZIAR: Tirar sentido ou conteúdo de uma matéria.
ESQUENTAR: Publicar matéria velha com tratamento de grande novidade, justificado por novas informações nem sem­pre verídicas. Usa­se pejorativamente: “esquentar matéria” ou “requentar matéria”.
F

Fac-símile – Cópia de documento
Feature – Matéria com texto especial, fora do padrão do jornal, sobre assunto agradável ou inusitado.
Fechamento – Horário estabelecido para as matérias baixarem para as oficinas
Fio – Linha usada para dividir textos ou matérias. Também usada para realçar fotos.
Fluxo – Cronograma previsto para cada página ou caderno baixar para a oficina. Destina-se a impedir o engarrafamento de páginas no processo de pré-impressão (feitura do fotolito e chapas)
Foca – Jornalista iniciante
Fonte (1) – Origem de notícia
Fonte (2) – Modelo de letra usado na impressão
Foto-legenda – Pequena matéria, de no máximo 20 linhas, usada para explicar ou destacar foto.
Fotolito – Filme gráfico negativo usado para queimar a chapa
Frase – Box que destaca em corpo maior declaração de entrevistado
Fundo – Cor usada para destacar matéria, título ou box
FADE ÁUDIO: Termo que na televisão define o fim de uma matéria e/ou cena com a diminuição gradativa do som.
FADE VÍDEO: Mesma utilização do termo acima para imagem.
FARO: Talento para descobrir notícia. Usa­se a expressão “faro para notícias” ou ‘farejar notícias”.
FEATURES: Reportagens construídas a partir de um fato, para abordar situações mais abrangentes. Geralmente são matérias especiais, que requerem mais tempo para serem apu­radas e integram as edições de fim de semana, quando os veí­culos dispõem de mais espaço editorial.
FECHAMENTO: Conclusão do trabalho de edição.
FLASH: Síntese de cinco linhas de uma matéria. Geralmente é usada em chamadas de rádio. Usa­se a expressão “passar um flash”.
FOCA: Jornalista novato.
FOCO: O objetivo de uma matéria.
FONTE: Quem fornece informação à imprensa, seja por ini­ciativa própria, ou atendendo a uma solicitação.
FREE-LANCER: Quem presta serviço jornalístieb sem man­ter vínculo empregatíeio com o veículo, agência de notícias, de publicidade e/ou de comunicação.
FRIA: Adjetivo para classificar uma reportagem sem cor lo­cal. Usa­se a expressão “a matéria está fria”.
FRILA: Corruptela de free­lancer.
FURO: Informação importante e verdadeira que apenas um veículo publica.
G
Ganhar na foto – Diminuir a foto na altura ou largura de maneira a ganhar mais texto. O corte não é proporcional.
GANCHO: Argumento de uma reportagem.
GARIMPAR: Sinônimo de “cavar”. Usa­se “garimpar a in­formação “.
H
HOUSE ORGAN: Publicação empresarial dirigida a um público específico, que pode ser interno ou externo. Pode ser ‘ jornal, revista ou newsletter.
I
Indicadores – Lista de dados do mercado financeiro em forma de tabela
INFORMAÇÃO DE COCHEIRA: Informação de bastidor (geralmente dada em off).
Infográfico – Artifício gráfico que envolve imagem e pequenas informações de texto que se complementam.
Insert – Tipo de box. Pequeno texto sobre material adicional ao assunto principal.
Intertítulo – Título curto usado para destacar determinado tema dentro da matéria sem retirá-lo do corpo principal do texto. Também é usado para dar movimento e leveza à diagramação.
J
JABÁ: Corruptela do termo jabaculê que define brindes da­dos a jornalistas com o objetivo de “comprar” a sua imparcia­lidade.
L
Lauda – Denominação para cada folha de texto escrito, que serve de parâmetro para calcular quantos centímetros a maté­ria ocupará na página impressa. Geralmente, uma lauda tem 25 ou 30 linhas, com 72 ou 62 batidas cada.
Lead ou Lide – Abertura de matéria tradicional. Precisa responder a seis perguntas bási­cas: o que, quem, quando, onde, como e por quê.
LEGENDA: Texto que identifica personagens elou cena na foto jornalística. Geralmente, tem uma linha. MACARRÃO: Folha solta de papel jornal, no tamanho das demais folhas da publicação, inserida entre as páginas de uma edição.
Legenda – Linha de texto colocada sobre a foto. Artifício adicional para destacar o tema da matéria.
Lidão – Texto de até 60 linhas usado em reportagens para coordenar matérias diversas sobre um mesmo tema.
Linha fina – Pequena linha de texto usada sobre ou logo abaixo do título para destacar informações da matéria. Ver sutiã.
Linha de tempo – Dados dispostos em ordem cronológica com fotos e ilustrações.Podem ser colocados na página vertical ou horizontalmente.
M
Macaquinha – Pequena marca gráfica usada para destacar nota ou curta.
Macarrão – Inserção de duas páginas usada para ampliar o caderno.
Matéria – Texto preparado jornalisticamente.
Matéria Analítica – Texto preparado jornalisticamente procurando estabelecer futuros desenvolvimentos dos fatos.
Matéria Fria – Matéria que independe de sua atualidade para ser publicada.
Matéria Interpretativa – Texto preparado jornalisticamente tentando explicar osfatos.
Memória – Texto preparado jornalisticamente lembrando antecedentes do fato.
MANCHETE: Título do principal assunto da edição de um jornal.
MARRETA: Definição pejorativa para matéria publicitária que é publicada emformato editorial.
MASTIGAR: Destrinchar, trocar em miúdos, explicar dida­ticamente.
N
Normas de redação – Conjunto de regras usadas para padronizar a produção de textos, títulos e legendas.
Nota oficial – Documento impresso com a opinião de uma determinada fonte.
Nota ou balaio – Texto curto usado em colunas.
Numeralha – Box que destaca dados numéricos em uma matéria determinada.
Número – Veja numeralha.
NARIZ DE CERA: Parágrafo introdutório em um texto que retarda a abordagem do assunto enfocado e tende à prolixida­de. É o oposto do lead e totalmente desnecessário.
NOTA: Pequena notícia ou comentário publicado por coluna.
NOTA OFICIAL: Comunicado por escrito que empresas ou Governo enviam às publicações, quando só querem se pro­nunciar uma vez sobre algum assunto. Geralmente, é usada em situações de crise.
NOTÍCIA: Informação que se reveste de interesse jornalístico. Puro registro de fatos sem comentários, julgamentos e/ou in­terpretações.
O
Off – Declaração dada sob compromisso de não revelar a fonte.
OFF-THE-RECORDS: Declaração que o entrevistado dá com a condição de não tê­la atribuída a si (sentido mais comum). Usa­se muito a expressão “informação em off’.
ON-THE-RECORDS: O contrário de off­the­records.
Olho – Box que destaca determinado assunto da matéria
On – Declaração sem impedimento de revelar a fonte
P
Paica – Medida usada para medir a largura de uma coluna
Pauta furada – Informação falsa.
Pé da matéria – Final do texto. Cortar pelo pé significa retirar os últimos parágrafos sem se preocupar com a qualidade da informação contida no texto.
Perguntas e respostas – Matéria disposta sob a forma de um questionário. Serve para explicar aspectos do tema.
Perna – Sinônimo de coluna. “Descer em duas pernas”, matéria em duas colunas.
Personagem – Texto para mostrar quem é o ator principal da matéria.
Pescoção – Trabalhar durante a noite e a madrugada para antecipar material defim de semana.
Pingue – pongue – Matéria em forma de perguntas e respostas.
Ponto a ponto – Box onde os principais pontos da matéria estão descritos por itens.
Povo Fala – Enquete com populares sobre determinado assunto (veja enquete).
Projeto Gráfico – Padronização usada pela publicação para dispor uniformemente matérias, fotografias e adereços gráficos
PAUTA: Conjunto mínimo de informações sobre temas vari­ados que constitui o ponto de partida para a produção de no­tícias de uma publicação.
PAUTEIRO: Produtor de pautas.
PERFIL: Reportagem biográfica que mistura declarações de uma pessoa, dados biográficos e comentários sobre o persona­gem em foco.
PESCOÇO: Fechamento antecipado de cadernos que só vão circular no fim de semana. É também chamado de “pescoção”.
PLANTAR: Denominação usada para definir a colocação por uma fonte de uma nota em uma coluna, ou de uma matéria em uma seção. Diz­se plantar uma nota e/ou uma matéria.
POSITION PAPER: Instrumento que muitas enpresas uti­lizam para oficializar. internamente sua posição em relação a determinado assunto e/ouu cirscunstância.
Geralmente, seu uso é restrito ao público interno e tem por objetivo padronizar o discurso dos executivos em relação a temas polêmicos.
PRESS KIT: Pasta contendo um conjunto de informações a ser distribuído à imprensa, com o objetivo de informá­la pre­viamente sobre algum assunto relevante, que será detalhado em uma en trevista, por exemplo. Pode reunir textos, gráficos, tabelas, ilustrações e/ouu fotos.
PRESS-RELEASE: Informação escrita que as empresas, ins­tituições e/ou Governo enviam às redações ou entregam a jor­nalistas. Funciona como subsídio para o trabalho jornalístico; não é a notícia.
PRESS-TOUR: Viagens nacionais e/ou internacionais pro­gramadas pelas empresas para que a imprensa conheça me­lhor suas atividades.
PRETINHAS: Denominação dada ao teclado das máquinas de escrever. Com a informatização das redações, muitas vezes é substituída por branquinhas. Usa­se a expressão “sentar nas pretinhas e escrever”.
PARA ONTEM: Expressão usada para definir um prazo pe­queno. Usa­se a expressão “essa matéria é para ontem”.
Q
Quadro – Box para explicar determinada informação da matéria
QUEIMAR: Desgastar a imagem.
QUENTE: Qualificação para uma boa informação e/ou fonte. Usa­se a
expressão “informação quente” é/ou ‘fonte quente”.
R
Redator – Jornalista especializado em rever o texto do repórter e em preparar títulos e legendas. Na nova concepção de jornalismo, o profissional não se especializa mais em uma determinada área da produção de texto e edição.
Release – Matéria preparada por assessoria de Imprensa.
Repercutir – Prosseguir num assunto do próprio jornal ou de outro. Veja suite
Reportagem – Matéria com grande centimetragem, cobrindo integralmente determinado assunto.
Retícula – Malha gráfica aplicada sobre texto ou foto para aliviar tonalidade efacilitar impressão.
Retranca – Palavra ou pequena frase usada sobre o título para apresentar o temada matéria.
RESENHA: Resumo e crítica de uin ou vários livros sobre um mesmo assunto.
S
Seção – Sinônimo de editoria ou coluna de opinião ou nota.
Selo – Pequeno desenho para marcar matérias afins ou campanhas do jornal ou revista.
Serviço – Pequeno texto usado no pé da matéria contendo endereço, página webou telefone de algo citado na matéria.
Standard – Tamanho padrão de jornal
Sub – Matéria coordenada com a principal da página; título informal usado pelo sub-editor
Sub-lead – Parágrafo colado ao lead da matéria
Suíte – Prosseguir num assunto do próprio jornal ou de outro. Veja suite. Também se usa o verbo suitar no sentido de repercutir
Suplemento – Caderno adicional ao material principal do jornal
Sutiã – Pequena linha de texto usada sobre ou logo abaixo do título para destacar informações da matéria. Ver linha fina.
Seboso: Agenda com nomes e telefones de fontes para uso coletivo de uma redação. Como é sempre muito manuseado, tem a aparência de um objeto seboso.
SEGUNDO CLICHÊ: Parte da tiragem do jornal que con­tém correções %u alterações na edição, realizadas pela Reda­ção depois do fechamento.
Side Texto que complementa texto principal.
Sonora: Entrevista no jargão dos telejornais. Usa­se a expressão “gravar uma sonora”.
SUBLEAD: Parágrafo que dá seqüência ao lead. Complemen ta as informações contidas na abertura da matéria.
SUB-RETRANCA: Outra denominação para box. Texto que está associado aotexto principal.
STANDARD: Tamanho padrão das páginas de um jornal.
SUÍTE: Desdobramentos de uma notícia.
T
Tabela – Gráficos numéricos dispostos ordenadamente
Tabloide – Formato de jornal igual a metade da página do jornal standard
Template – Modelo de página, dentro do projeto gráfico, que serve para iniciar o
processo de diagramação
Tijolinho – Informação contida em roteiros
Título – Frase usada no alto da matéria para chamar a atenção do leitor (veja manchete)
Toques – Número limite de letras, espaços em branco e sinais ortográficos capazes de caber numa linha de título, legenda, sutiã ou olho.
Tripa – Coluna imprensada por anúncio ou anúncios de grande tamanho
Trocar figurinha – Trocar informações com colegas do próprio jornal ou de jornais concorrentes.
Tabloide: Publicação cujo formato é o de meio jornal standard.
Teaser: Informação qúe funciona como “isca” para susci­tar o interesse da imprensa. Geralmente se traduz por uma nota publicada em coluna.
No noticiário de televisão, o termo é usado para definira ima­gem de maior impacto de uma notícia e que é usada como chamada para o noticiário que irá ao ar mais tarde. O termo também é usado em publicidade, para definir peças de anúncios colocados para chamar a atenção do público para uma campanha veiculada logo depois.
Texto-Legenda: Texto curto e sempre editado com uma foto.
V
Vazar: Divulgar para a imprensa uma informação sigilo­sa. Usa­se a expressão “a informação vazou”‘.
Vazado – Texto claro colocado sobre fundo escuro.
VENDER: Sugerir um assunto para ser apurado como notí­cia. Usa­se muito “vender uma pauta”.
Vender a pauta – Sugerir determinado tema ao editor

Fonte: Unesp.

No hay comentarios.:

Publicar un comentario